Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Raimundo António de Bulhão Pato

por Renato, em 10.01.15

IMG_3148.JPG

 

"Amigos, á formosura
Que nos cerca neste instante,
Erga-se a taça escumante
De purpurino licor.
Vivo enthusiasmo rebente
Agora de nossas almas,
Caiam palmas sobre palmas
Cada vez com mais ardor!

Aqui floresce na horta
A viçosa laranjeira,
Corre o Champanhe e o Madeira
Que offertara nivea mão,
Aqui não chegam as garras
De tanta velha leôa
Que esfaimada por Lisboa
Se atira a tanto leão.

Aqui livre em nosso peitos
Pula impaciente alegria,
Porque ao sol de um bello dia
Tudo vemos reflorir!
Que importa pois que os ministros
Resonem no parlamento,
E que os homens de São Bento
Nem sequer nos façam rir?

Para nós sorri-se o mundo,
Para nós a vida é esta,
Hoje festa, amanhã festa,
Gloria, encantos, illusões!
Junto a nós temos as bellas
Mais fragrantes do que as rosas,
Longe... o mundo das preciosas,
E o mundo dos papellões!

Eia pois! á formosura
Que me cerca neste instante
Erga-se a taça escumante
De purpurino licor.
Vivo enthusiasmo rebente
Agora de nossas almas,
Caiam palmas sobre palmas
Cada vez com mais ardor!"

Um Brinde de Bulhão Pato

 

Bocage andava a querer ser conhecido pela sua outra obra mas foram as anedotas que o celebrizaram; Raimundo António de Bulhão Pato, no meio da sua obra, foi ficar conhecido pela receita das amêijoas que, supostamente, a ele pertence. Ah, consigo imaginar Exmo. Bulhão Pato a molhar o pão torrado com manteiga na molhenga das ameijoas para a seguir besuntar de gordura o seu livro de notas onde escrevera as sua poesia, prosa, narrativas e... receitas! Consigo imaginar uma vida boémia de um bom copo de vinho, ameijoas à Bulhão Pato, pão torrado com manteiga e um bloco de notas cheio de nódoas de gordura e coentros: fácil!

Homenagem a Raimundo Bulhão Pato? Mais uma homenagem à minha barriga, mas também a Bulhão Pato.

IMG_3147.JPG

 

Isto é tão rápido de fazer que dói a rapidez com que desaparecem depois de terminado.

1 Kg de Amêijoas (podem sempre comprar frescas... Aqui o mão-de-vaca comprou da Vietnamita!); 3 dentes de alho; azeite; sal; pimenta preta; 1 punhado de coentros; sumo de 1 limão; vinho branco.

Sem pena, piquei o alho e juntei-o ao melhor amigo azeite.

A esta festa  juntei tudo o resto e tapei.

Ah! Juntei-lhe metade de um pacote das malditas natas de soja que tinha no frigorífico. Acho que não é mesmo necessário (a receita original tem sobrevivido uns bons anos sem natas...) mas a molhenga fica com uma consistência diferente.

Cordialmente,

Raimundo, esta é para ti.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos