Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Este dia serve para quê, Sr. São Valentim?

por Renato, em 14.02.15

O Dia dos Namorados e eu sempre fomos, por si só, uma relação complicada e que muitos de vós também já viveram: há anos em que procuramos menus do Dia dos Namorados, marcamos o que nos parece melhor e festejamos com quem queremos partilhar o dia; há anos em que nos apetece pagar - em dinheiro vivo, fresco, sem impostos ou coisa que valha - ao José Freixo e ao pato Donaltim para atazanar o juízo a todos os casalinhos que passeiam e jantam felizes por aí.

Afinal, este dia é especificamente para casalinhos felizes e apaixonados ou apenas para estarmos junto daqueles de quem gostamos de uma forma geral?

Parece que é especificamente para casalinhos felizes e apaixonados: lamento, Sr(a). Solteiro(a).

São Valentim foi um mártir, morto em Roma, supostamente por celebrar casamentos cristãos numa altura em que isso não era permitido. O imperador da altura achava que homens solteiros seriam melhores soldados. Em todo o mundo, este dia é celebrado com corações em chocolate, cartões lamechas, prendas com ursos à mistura.

Mas porquê? Por que razão esta fanfarronice toda só para uma pessoa? Dizem que é a Dopamina, um estimulante natural libertado por uma qualquer área do cérebro para começarmos uma qualquer actividade em troca de ganhar algo em troca... Andamos muito interesseiros, hein? Azar, não a controlamos.

O post de hoje é dedicado a este dia. O post de hoje tem duas receitas rápidas com um objectivo específico: preciso de ir festejar o meu e há que não perder demasiado tempo com cozinhados.

Pela manhã decidi fazer uma torre de panquecas com iogurte grego e morangos.

IMG_3220(1).JPG

Para a massa bati dois ovos, duas colheres de sopa de açúcar amarelo, 80 g de manteiga derretida, 3 dl de leite e 250 de farinha. Para a molhenga juntei uns morangos a um grande iogurte grego natural sem açúcar e mais 1 colher de açúcar amarelo: passei tudo com a varilha mágica e KABOOM!

IMG_3221(1).JPG

 

IMG_3222(1).JPG

Para o almoço, o que fiz poderia chamar-lhe muitos nomes que remetessem para o que vai no ar no dia de hoje, mas decidi chamar-lhe apenas de sopa-de-tomate-com-ovos-escalfados-queijo-parmesão-para-não-comer-à-colher-e-sim-com-pão-torrado.

IMG_3225.JPG

Por ordem: piquei linguiça, 2 dentes de alho, aipo e pus tudo na frigideira; piquei um bom molho de manjericão e deitei lá para dentro; sal, pimenta e uma colher de sopa de açúcar; 2 latas de tomate para a frigideira e deixei apurar; queijo parmesão; provei; rectifiquei; 3 ovos a escalfar com queijo parmesão por cima; tapei e deixei  ferver por mais uns minutos. Desliguei o fogão e comemos.

IMG_3226.JPG

Ide partilhar o dia com alguém, ide!

Bom Sábado.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos