Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Deixar Para Trás os Restos de 2015

por Renato, em 03.01.16

Num ano qualquer, uns daqueles comuns que passam por nós sem dizer patavina, há coisas que queremos deixar para trás; umas devemos deixar e não o fazemos, outras devíamos perpetuar e mandamos á valeta. Estudos de observação profundos que faço através da minha varanda quando vejo pessoas na paragem de autocarro, fazem-me concluir que somos todos assim. O outro, que hoje em dia muitos dizem que ele é que tinha razão, já lá cantarolava: "(...) só estou bem onde não estou.".Tal como em todos os anos anteriores a 2015, muitas coisas aconteceram e sobre muitas coisas se foram falando: falou-se de pessoas tóxicas que deviamos deixar; falou-se de terrorismo e Estado Islâmico, que depois passou a ser ISIS e finalmente acabou em DAESH (daesh mazé daqui para fora, pá!); percebeu-se que afinal Marte e Plutão não eram só dois montes de pedra a pairar lá em cima; Donald Trump e o seu cabelo falaram demais; e António Costa a merecer uma rotunda do António Costa, derrubando a actual rotunda do Marquês de Pombal. A verdade é que todos nós gostamos disto, acima de tudo, gostamos de desafio: haverá desafio maior do que manter a televisão no canal onde Donald Trump está a falar? Eu faço isso…

Mas 2015 passou e está na altura de deixar o que aconteceu lá para trás (será que dá…?). As coisas do passado são todas muito giras, mas só são boas para aprender qualquer coisa.

A Passagem de Ano 2015/2016 foi em minha casa; fiz tanta coisa que quando chegou o momento do jantar já fui a rebolar até à sala por ter “provado” (Lol…) a comida enquanto a fazia. 

No afterparty (entenda-se: no dia seguinte, na manhã das arrumações) percebi que tinha bastantes restos no frigorífico que para trás teriam que ficar (nesta última frase adoptei o dicionário do Mestre Jedi Yoda, em gesto de marco pelo feito que aconteceu no final do ano passado!). Portanto, ainda estou a drenar para fora de casa alguns restos do jantar de passagem de ano; ontem foi dia de utilizar uns cogumelos que estavam por um fio para ir a caminho do lixo. Tal como há um ano atrás, quando comecei com este blog, seria exigido qualquer coisa simples e rápida para desenjoar a quantidade de comida que se absorveu por osmose nos últimos dias.

Desde vez, em video!

  

iPhone - Foto 2016-01-02 20_41_17.jpeg

Assim sendo, que tenham todos um excelente ano de 2015; encaremos este novo ano de peito cheio e toca a dar o melhor naquilo que se faz!

Viva!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos