Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Patuscada

A cozinhar enquanto conto umas histórias e mando umas larachas que não são bem histórias.

Comida + Especiarias = Ui, ui

por Renato, em 11.02.17

Então vamos lá a isto.

 

Sou um valente apreciador de comida asiática até porque, quando qualquer um de nós prova comida asiática, está a provar uma verdadeira fatia daquele bolo às camadas, cheio de creme, retoques e lambidelas chamado história.

 

Quem não gosta e usa especiarias na cozinha?

 

Aaaah, agora que penso nisso eu conheço duas ou três pessoas que só utilizam o sal na cozinha. A essa maltinha eu pergunto: “Vocês conseguem viver mesmo só com sal?”

 

Escusam de responder que eu não vou perceber.

 

Grande parte das especiarias vieram da Ásia e, tal como quando pensamos na Índia pensamos nos tons vermelho e laranja, quando pensamos em cozinhar deveríamos todos pensar em especiarias. Não é imediato?

 

Pessoalmente, as especiarias estão para mim como a Patrulha Pata está para as crianças entre os 2 e os 6 anos.

 

O caril, enquanto um conjunto destas especiarias moídas que resulta num bonito pó amarelado, tem 4 mil anos. Oi? Quatro mil anos? Não admira que este pózinho esteja presente em várias cozinhas espalhadas por esse mundinho fora.

 

Na minha opinião existem dois bons sítios onde podemos encontrar o verdadeiro caril: na Índia e no Martim Moniz. Aish, que comentário cheio de prepotência e topping de preconceito. 

 

Passando à frente, eu cozinho caril em casa várias vezes; vezes demais. Não faço o meu próprio caril mas devia; fica para mais tarde. Tendo o pó, cozinhar torna-se relativamente rápido. Para além disso, é algo muito fácil de fazer e tem molho. Muito molho.

 

***

 

Em casa, começo por fazer um bom refogado de cebola, alho, gengibre e um pau de canela. Junto logo o caril, o sal, a pimenta, noz-moscada, uma dose extra de cominhos e deixo ali até caramelizar a cebola. 

 

Depois junto parte do leite de coco, deixo ferver e passo com a varinha mágica. 

 

Acrescento o resto do leite de coco e,  "falando" sobre o que experimentei hoje, utilizei peito de frango cortado aos cubos; deixo apurar em lume brando e, está feito. No fim junto coentros.

 

iPhone - Foto 2017-01-28 21_05_26.jpeg

 

Decidi fazer uns folhados com este caril para apresentá-lo de forma diferente.
 

iPhone - Foto 2017-01-28 21_21_15.jpeg

 

À parte, cozi cenoura e aipo a vapor para fazer um puré. Aproveitei o resto da massa folhada para fazer uns dips.

 

Eu gosto da primeira versão do prato.

 

iPhone - Foto 2017-01-28 21_24_43.jpeg

 
Mas prefiro com molho, lamento.
 

iPhone - Foto 2017-01-28 21_25_36.jpeg

 

Posto isto, muita comida exótica para vocês e bom fim-de-semana!

 

Vejam também em

www.instagram.com/patuscadablog

www.facebook.com/patuscadablog

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos